Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2020

Do Tetris ao Super Bowl

Imagem
Um amigo meu, o Lue, começou há algum tempo a praticar um jogo de celular que é, em essência, muito parecido com o clássico Tetris, mas que também depende de muita capacidade de memorização e agilidade mental. A empresa desenvolvedora do jogo também possui um ambiente virtual no qual pessoas de vários lugares do mundo podem se inscrever e participar de competições diárias. O Lue, então, dedicou-se durante um tempo considerável e, como é muito astuto e perspicaz, logo começou a competir para valer. Não demorou muito, pois, e ele começou a conquistar vários torneios, e a cada semana que se passava ele nos surpreendia com novos prêmios que chegavam em sua casa; fato este que atestava sua enorme competência naquela atividade.  Há alguns dias atrás, porém, ele mandou uma mensagem a um grupo de amigos dizendo que o prêmio daquele fim de semana que estava por vir seria, nada mais nada menos do que dois ingressos para o Super Bowl LIV, em Miami.             Caso você não esteja muito famil

A (i)moralidade bíblica

Imagem
Quando eu era adolescente lembro-me de ter ido a um casamento em uma Igreja evangélica que não era a que eu costumava frequentar. Tudo estava muito bonito na cerimônia, desde os cânticos, passando pelos belos trajes dos convidados e também a decoração da igreja - tudo perfeito. Como de costume em qualquer igreja cristã, o pastor (ou padre na igreja católica) toma a palavra e celebra a união do casal. O presbítero daquela congregação era bem conhecido e querido na cidade e seu discurso corria muito bem, afinal ele realmente tinha o dom e a eloquência para falar direto ao coração das pessoas. Porém, uma de suas frases me chocou profundamente, quando, de uma forma bem agressiva e indelicada, ele começou a falar sobre a postura moral que um casal cristão evangélico deveria assumir dentro do matrimônio e culminou seu discurso com a frase: “Imaginem vocês, tem casal que comete o absurdo de levar filme pornográfico para dentro do lar”. Logicamente, poderíamos aqui analisar a imensa indelica